Arquivo

Posts Tagged ‘abertura do diafragma e velocidade do obturador’

Abertura X Velocidade

julho 9, 2009 1 comentário

Abertura e Velocidade

Quando falamos em velocidade em fotografia digital, pode ser entendida de varias maneiras, velocidade de gravação de um arquivo por exemplo, que depende entre outras coisas da capacidade de processamento e do tipo de cartão de memória, mas a velocidade de qual falo é a velocidade de captura e abertura da lente, dois conceitos fundamentais da fotografia e que são responsáveis pela exposição ( tanto na fotografia química como na fotografia digital), base para o esclarecimento de uma série de dúvidas que muitos encontram no dia-a-dia com suas maquinas digitais.
Ja falamos que a captura de uma imagem estática depende da exposição de uma superfície sensível a luz ( o filme ou sensor) por um determinado tempo. Se entrar luz demais a foto fica super-exposta ( esbranquiçada, estourada, sem detalhes nas altas luzes). Com luz de menos, fica sub-exposta, muito escura. E as formas de controlar quanta luz entra na câmera são justamente os ajustes de abertura e velocidade.

Abertura

Abertura, como o nome indica, é o tamanho do orifício pelo qual a luz entra na câmera. Sabe aquela imagem tipicamente associada a fotografia, com uma serie de laminas que lembram uma hélice com um buraco no meio? Aquilo e um diafragma, que pode produzir um orifício maior ou menor, de acordo com a abertura selecionada. Este ajuste também é chamado de F-stop, como veremos em seguida.
Normalmente o valor de abertura é expresso na forma de f/X (dai o f-stop) ou 1:x. Quanto maior o denominador (X), menor a abertura ( essa talvez seja a maior dificuldade no entendimento da abertura, por ser inversamente proporcional). Uma abertura f 2.8 (1:2,8) é menor do que uma abertura f 2.4 ( 1:2.4) e ou seja deixa entrar uma quantidade menor de luz que a f 2.4. Quanto menor o numero, maior e a abertura e mais clara é a lente pois deixa passar uma quantidade maior de luz, lentes mais claras empregam características de elementos construtivos maiores e por este motivo são mais raras e mais caras.
Nas lentes das câmeras, inclusive na maioria das digitais compactas, vem marcado uma letra f seguida de um numero, este numero representa a maior abertura desta lente, e sua capacidade de deixar passar um quantidade maior ou menor de luz.
Existe uma tabela internacional de valores padrão de aberturas, consideras inteiros e ou “stops”, os valores f/1 f/1.4 f/2 f/2.8 f/4 f/5.6 f/8 f/11 f/16 f/22 f/32, bem como os intermediários “half-stops”, os números f/1.2 f/1.7 f/2.3 f/3.4 f/4.7 f/6.7 f/9.5 f/13 f/19 f/27 e f/38 ( esses valores são mais raros nas câmeras atuais). De um stop “inteiro” para outro a quantidade de luz que entra na câmera por um determinado tempo de exposição é reduzido pela metade.

Velocidade

Esse tal “determinado tempo de exposição” nada mais é do que a velocidade (chamada em inglês de “exposure”), medida em fracões de segundos (ou segundos inteiros em exposições longas). Por serem fracões também seguem a regra do “mais é menos”. Uma velocidade de “1000”, que na verdade representa 1/1000 s, significa uma exposição menor do que 500 ( 1/500 s ). Quanto maior é a velocidade, mais curta é a exposição, mais rápido o obturador se fecha e a luz é capturada de forma mais rápida.
A sequência típica de uma câmera, inclui valores como 1/2s ( meio segundo), 1/4s (um quarto de segundo) 1/8 ( um oitavo de segundo ), 1/15 1/30 1/60 1/125 1/250 e os já citados 1/500 e 1/1000 ( um milésimo de segundo ), embora hoje existam câmeras mais sofisticadas que podem nos presentear com até 1/16000. Em exposições de um segundo ou mais, a velocidade passa a ser representada em segundos inteiros (1, 2, 4, 8, e mais comum até 30s) logo quanto maior o número, mais longa é a exposição. Como os valores praticamente dobram a cada ajuste, A mudança de um nível de velocidade, reduz a metade e ou duplica a quantidade de luz que entra na câmera.

Anúncios